Desejei

Seria sem graça se tudo fosse fácil. Seria fácil se tudo viesse junto. Seria triste se eu não vivesse com amor.

As vezes eu penso que seria cansativo saber demais. Trabalhar duraria duas horas, não teria mais graça ler um livro de 200 páginas, quem dera um de 1.800.  Cantar seria algo inútil. E sucesso pra que? Todos entenderiam a mesma coisa. E pra que iria servir o google? Os sites? Então, porque foi criado a internet mesmo? A calculadora estaria em sua memória. Não haveria pintores, cada um faria suas próprias obras. Aliás, os escritores sumiriam da face da Terra.

Juro que, um dia desejei nascer sabendo. Mas pra que mesmo? Pra não ter um amor? Não ter um professor? Não acumular conhecimentos e vencer guerras da vida? Concorde comigo: não saber de tudo é a melhor maneira de criar, sofrer e alcançar metas.

Hoje podemos pensar no nosso futuro companheiro, moradia, emprego. Poder aguçar nossos sentidos, priorizar palavras, descobrir novos horizontes e maneiras diversas de atingir o mesmo objetivo é uma das maiores conquistas que a nossa raça é capas de se orgulhar.

Nascer sabendo tudo, nem pra pobre em periferia vai adiantar alguma coisa. Conhecer é pensar no futuro. E pensar no futuro é viver todos os dias aprendendo que seja a dar um beijo ou a fazer uma comida instantânea.